Quem sou

Eu sou consultor informático há mais de vinte anos. Escrever programas, corrigir programas, desenhar aplicações, desenhar funcionalidades nas aplicações. Muita análise, muita programação, gestão de projectos de desenvolvimento e manutenção de software.

Em relação  à minha formação académica, completei o ISCAL (Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Lisboa) e fiz um Post-Graduate diploma (PgDip) em “Software Development” pela “Open Univervisity” do Reino Unido (UK).

Porque será que um consultor informático tem um  site/blog sobre nutrição e obesidade? Tão somente porque quero partilhar o meu conhecimento e experiência sobre o tema. Para  começar leia a história da minha obesidade.

No verão de 2003 fui a uma consulta de nutrição. Estava obeso e queria perder peso. Subi para a balança da nutricionista, depois de tirar o casaco, e a balança marcou 117 kg. Eu tenho um metro e setenta e nove, ou seja, estava realmente obeso. Ainda assim fazia algumas corridas de 20 a 30 minutos quase diariamente.

A receita da nutricionista fez-me perder peso. Reduzir as quantidades, não pôr açúcar em nada, comer sopa, beber leite magro, comer umas bolachinhas de água e sal a meio da manhã e a meio da tarde (só podia comer seis bolachas, as “Vieirinhas” de água e sal, com um pacote pequeno de leite magro), enfim, a mais usada e popularizada receita para perder peso – fazer uma redução calórica.

Perdi peso, mas tinha uma luta quase constante contra a fome. Mais uma dieta em que temos que contratar a nutricionista e a psicóloga para nos hipnotizar afim de  vencermos a fome. Era vítima da abordagem mais generalizada para vencer a obesidade – é preciso reduzir as calorias e fazer exercício físico. No entanto, ao longo deste site mostrarei que esta abordagem é errada. Descobri esse erro em 2011, a partir de Março.

Desde 2003, andei numa luta para conseguir reduzir o peso. Por volta de 2008 pesava 103 kg, mas mesmo assim queria baixar de peso. Nesse mesmo ano comprei o livro de dietas do médico francês Montignac. Esta dieta baseia-se no índice glicémico dos alimentos. Segui esta dieta e consegui ir até aos 98 kg, mas a luta contra a fome continuou. Há noite, depois do jantar e antes de ir para a cama, desenvolvia a rotina de abre e fecha armário, abre e fecha frigorífico, sendo que neste abre e fecha sempre acabava por comer alguma coisinha.

Como não conseguia baixar mais o meu peso, fui procurar mais informação e então comprei o livro do jornalista cientifico Gary Taubes, com o título Good Calories, Bad Calories. Este livro não é um livro de dietas, mas mostra o quanto o conceito generalizado sobre o que nos faz engordar está errado. Mostra ainda porque foi este conhecimento errado que se tornou dominante. Deste livro fui levado ao livro mais vendido de dietas – a dieta revolucionária do Dr. Atkins.

O Dr. Atkins propõe uma dieta de baixos hidratos de carbono, e com esta sim, consegui baixar para menos de 90 kg. Atualmente peso 85 kgs e sublinho graças ao Dr. Atkins.

Durante vários anos, cerca de dez, tomei Inderal e ADT, para prevenir enxaquecas. Foi-me receitado por uma neurologista. Ao longo da leitura do livro do Dr. Atkins, este referia que este tipo de medicamento pode causar resistência metabólica (resistência à perda de peso) e então resolvi deixar de tomar, substituindo por valeriana, flor de maracujeiro e chá de camomila, de acordo com sugestões dadas pelo próprio Atkins nos seus livros. Isto não confere medicina alternativa, mas sim medicina complementar, o nome dado pelo próprio Atkins, à sua prática. Hoje em dia não tomo o Inderal nem o ADT, durmo bem e não tenho enxaquecas.

Numa constante procura por mais informação sobre a obesidade já não sigo o Atkins. Sigo uma dieta de baixos hidratos de carbono, mas a do Paleo, ou seja, tentar replicar o que o homem primitivo comeria antes de haver agricultura.

As minhas análises a 15-06- 2006 (antes de fazer a dieta do Atkins e antes da do Paleolítico):

  1. Colesterol Total : 218 mg/dL
  2. Colesterol HDL : 39 mg/dL
  3. Colesterol LDL : 133 mg/dL
  4. Trigliceridos : 235 mg/dL (era uma bomba prestes a explodir!, risco elevadissimo)
  5. Colesterol VLDL (calculado) : Trigliceridos / 5 = 235 / 5 = 47 mg/dL
  6. Colesterol total / HDL : 218 / 48 = 5,589 é maior que 5. Sendo > 5 risco elevado!

 

As minhas análises em 2012-06-12 (com a dieta do Paleolítico):

  1. Colesterol Total : 191 mg/dL
  2. Colesterol HDL : 48 mg/dL
  3. Colesterol LDL : 119   mg/dL
  4. Trigliceridos : 121 mg/dL
  5. Colesterol VLDL (calculado) : Trigliceridos / 5 = 121 / 5 = 24.2 mg/dL
  6. Colesterol total / HDL : 191 / 48 = 3,979 é menor que 5. Sendo > 5 risco elevado
  7. Hemoglobina glicada : 5,5%
  8. Ureia : 46 mg/dL
  9. Ácido urico : 7,2 mg/dL
  10. Creatinina : 1,01 mg/dL
  11. Glicose : 86 mg/dL
  12. Insulina : 6,4 mU/L
  13. Proetína C reactiva : 0,04 mg/dL

Estas análises mostram a eficácia da dieta que sigo, embora não sejam os valores que pretendia. Os trigliceridos deviam estar abaixo de 100 e o HDL devia estar mais alto. As próximas serão melhores, não esquecendo que estão dentro dos valores normais de referência .

Não tomo e não faço qualquer medicação para baixar o colesterol. Não faço e não farei, descobra neste site porquê?

Siga o meu site que prometo apresentar informação interessante e surpreendente.

Obrigado.

Rui Valente.

contraainsulina@gmail.com

2 thoughts on “Quem sou

  1. Boa noite Rui.
    Gostei muito de ler o seu site, que encontrei por mero acaso.

    Também tenho muito a agradecer ao Dr. Atkins.

    Bem, gostaria apenas de lhe recordar uma coisa, que com certeza sabe bem. Nessas quantidades de proteínas, principalmente quantidades excessivas de carne, são uma sobrecarga renal enorme, mesmo bebendo tantas canecas de chá!

    Tem uma cretiniza normal, mas não nos devemos iludir com esses valores. Deve sempre calcular a taxa de filtração glomerular (clearance de creatinina), que segundo o seu sexo, idade, valores analíticos, estimará como o rim está a funcionar.

    Bem, mas era apenas uma chamada de atenção.

    Parabéns pelo seu espaço.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *